0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- 0 Flares ×

No sábado, 29 de agosto de 2015, a liderança da juventude da Assembleia de Deus do Jardim Palma realizou o I Reencontro da Mocidade Ágape. O objetivo do culto foi o de reunir gerações de jovens que passaram pela igreja. O pastor Josinei Mateus fez uma breve abertura do evento. Coube ao pastor Glaydson fazer a leitura oficial da noite em II Coríntios 1:12-24. Confira aqui a GALERIA DE IMAGENS.

A direção do culto ficou sob a responsabilidade dos irmãos Ícaros e Tiago, que conduziram o culto convidando várias pessoas que passaram pela mocidade para testemunharem.

Confira um resumo dos testemunhos. (nas imagens acima a foto de cada um que testificou – clique nas imagens menores para serem ampliadas)

O jovem Itamar testemunhou sobre a sua vida. Contou que antes de vir pra igreja, ele estava a um passo de fazer um pacto com o diabo. Mas próximo da data para realizar o rito, ele entrou na igreja e aceitou a Jesus. “Ao final do culto todo mundo veio me abraçar, me beijar. Mas confesso que eu não sabia que eu tinha aceitado Jesus. Só depois que me explicaram e eu entendi que a minha ida até à frente era um ato de “aceitar a Jesus como Salvador”. Os irmãos me explicaram, eu entendi e oraram novamente por mim. Chorei muito, fui pra casa e só lá lembrei do pacto que eu iria fazer com o Diabo. Dobrei o joelho, orei e disse ao Senhor que eu queria fazer mais pra Jesus e eu queria receber mais Dele do que o inimigo tinha me oferecido. As experiências maravilhosas que eu tive nessa igreja ninguém vai tirar”.

A irmã Vera falou também sobre a alegria de estar junto à mocidade. Ressaltou que a igreja do Palma era um todo. “Todos sempre estavam muitos dispostos em ajudar. Vamos unir as forças. Unidos somos mais do que vencedores”.

O jovem e músico Ton também falou sobre seus momentos na igreja do Palma. Lembrou das vigílias e do tempo em que ele iniciava as orações cantando “Poderoso Deus”. “Amo a todos. Os momentos que passei aqui marcaram a minha vida”.

A irmã Ana Paula também testemunhou. Ela disse que quando o Ícaro fez o convite para o Reencontro ela pensou a semana toda sobre o evento. Ela falou sobre a chamada de Deus para a liderança. “Líder é ter um espirito de mãe e de pai. A gente quer proteger, dar conselho. E, por ser assim, ele se tornar até chato. Às vezes somos até duros e erramos com palavras ou ações. Somos humanos. Esse culto é pra olhar para as pessoas para perdoar e curar possíveis feridas que ocorreram durante o tempo que cada um aqui passou. Portanto, estou aqui pra pedir perdão”.

A Thais também falou sobre a sua passagem pela mocidade. “Na mocidade do Palma a gente sempre fala de amor, amor. Lembro-me que um dia estávamos no ensaio do vocal e eu disse que não é necessário muitas técnicas pra se cantar, mas a afinidade e o amor faz a diferença. Eu aprendi aqui a deixar um pouco de lado algumas coisas e criar um elo com o que é bom, com o amor”.

Já o Robinson falou sobre o pouco tempo que ficou na mocidade, pois logo ele se casou. “Apesar do pouco tempo eu só tenho boas recordações dessa mocidade”.

A irmã Angelita Masini louvou ao senhor com um hino e também agradeceu a Deus por contribuir, por pouco tempo, com a regência da mocidade. Agradeceu a irmã Érica pela receptividade e parceria.

O irmão Ander agradeceu as pessoas que fizeram parte da vida dele. “Sou um pouco tido pra falar em público, mas agradeço muito a oportunidade de estar aqui”.

A jovem Sulimara falou de todo o tempo que já está na Igreja. “Eu era pequena. Tinha sete anos. Corria atrás do William. Tem tanta coisa legal que ocorreu. Eu aprendi muito. Para você que estão chegando agora eu tenho um conselho: APROVEITEM, pois essa mocidade aqui é muito abençoada!

A Ana Luiza também esteve desde o começo na mocidade. “Eu passei por oito gerações de líderes. “Essa noite seria pequena pra contar tanta coisa maravilhosa que eu vivi. Essa mocidade é linda. Quero agradecer a Érica, que me ajudou muito. Ela me colocou muito pra frente em momentos difíceis. Só Jesus pra recompensar cada um de vocês”.

Já o Junin confidenciou algumas histórias descontraídas. Falou sobre as suas bagunças ao lado de outros jovens – o editor deste texto resolveu não revelar/entregar (quem não foi perdeu). “Bagunças saudáveis que edificaram as nossas vidas”, disse ele. “Meu conselho é para que cada jovem que chegar aproveite. Tenha histórias boas pra contar. Faça algo pra Jesus. Entregue-se de corpo e alma no trabalho do Senhor”, completou.

O jovem Adriano também falou sobre cada um que passou pela mocidade. “São pessoas únicas. Lembro-me das orações no monte: Não tinha carro a gente ia de bicicleta. Saiamos de lá às quatro da manhã. Quero falar também sobre a minha conversão. Fui evangelizado por uma moça na sala de aula. Ela sempre falava sobre a volta de Jesus. Cheguei nessa igreja e a primeira pregação que ouviu foi do pastor Glaydson, que era sobre a volta de Jesus. Fui impactado também pela vida do Itamar. O que ele fez por mim foi algo especial. Ele me recebeu com um abraço, me instruía. Foi uma benção. Ele me levou até a frente para receber a oração e naquela noite eu me entreguei completamente ao Senhor”.

Houve também um momento para homenagear algumas das lideranças que passaram pela Igreja. O jovem Ícaro e o pastor Josinei fizeram a entrega de certificados de Honra ao Mérito como forma de agradecer pelo que esses jovens fizeram quando estiveram à frente da Mocidade Ágape.

O pastor Josinei Mateus finalizou a parte dos testemunhos falando da importância de não perdermos as oportunidades em todas as fases da nossa vida. Precisamos fazer algo pra Jesus porque senão o tempo passa e a gente não tem histórias pra contar. Finalizou perguntando: É POSSÍVEL VOCÊ IMPACTAR POSITIVAMENTE ALGUÉM?

A palavra final foi dada pelo jovem Davi. Confira aqui como foi.

O Reencontrou reservou também um jantar de confraternização para todas as gerações que passaram pela Mocidade Ágape.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- 0 Flares ×