0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- 0 Flares ×

 

Muitos cristãos estão se acovardando, sob a alegação de que ter uma boa conduta é muito mais importante do que a pregação do Evangelho. Alguns dizem, inclusive, que a pregação é secundária e se valem da seguinte frase: “Pregue o Evangelho e, se necessário, use palavras”. Ora, ora, ora… Em seu livro God’s Not Dead, Rice Broocks afirmou: “doesn’t the Bible say to ‘preach the gospel and if necessary use words’? Well, no, it doesn’t. That phrase is usually attributed to Saint Francis of Assisi, but it is doubtful that he ever said it”.

Broocks mostra em seu livro que, enquanto os cristãos estão adotando uma postura passiva — a de não pregar o Evangelho, para não “ofender” as pessoas —, outras religiões não apenas pregam um falso evangelho, como também atacam o Evangelho. Portanto, a frase citada é contraditória; não está de acordo com o exemplo deixado pelo Senhor Jesus e os apóstolos. O Mestre dos mestres, a despeito de sua conduta exemplar, tinha como missão principal anunciar o Evangelho do Reino.

Convém que todos tenhamos bom testemunho dos que estão de fora (1 Tm 3.7; Mt 5.14-16). Entretanto, nada substitui a pregação do Evangelho, que é o poder de Deus! A Palavra de Deus deve ser anunciada! Nossa conduta é apenas um acessório; as Escrituras é que são a viva e eficaz Palavra do Senhor (Hb 4.12).

Artigo de Ciro Sanches Zibordi, pastor, escritor, membro da Casa de Letras Emílio Conde e da Academia Evangélica de Letras do Brasil. Autor do best-seller “Erros que os pregadores devem evitar” e das obras “Mais erros que os pregadores devem evitar”, “Erros que os adoradores devem evitar”, “Evangelhos que Paulo jamais pregaria”, “Adolescentes S/A” e “Perguntas intrigantes que os jovens costumam fazer”, todos títulos da CPAD. É ainda co-autor da obra “Teologia Sistemática Pentecostal”, também da CPAD.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- 0 Flares ×