0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- 0 Flares ×

O encerramento do 21º Congresso do Círculo de Oração da Assembleia de Deus de Franca, do Jardim Palma, terminou no domingo 9 de agosto com a participação dos cantores Ednéia e Oclésio, de São Paulo-SP. A palavra final ficou sob a responsabilidade da missionária Vanessa Araújo, que leu a palavra de Deus em Efésios 6:10-11.

Confira uma resenha* da mensagem ministrada

missionaria-vanessa-araujo

Missionária Vanessa Araújo, de São Paulo/SP

Estamos vivendo momentos de grandes lutas espirituais, por esse motivo, o tema escolhido para esse congresso é de Deus. Precisamos estar revestidos com as armaduras de Deus pra enfrentarmos as intempéries desta vida.

O apóstolo Paulo escreve esta carta à igreja de Éfeso. Seu alerta é pra que todos os irmãos entendem o significado de Batalha Espiritual e, portanto, necessitam das armaduras de Deus para resistir o dia mal.

O dia mal vem pra todos, inclusive para os crentes. Mas para nós, apesar disto, passaremos por ele, e, ao final dele, vamos cantar o hino da vitória.

Mas com quem temos que lutar? Basicamente contra três coisas:

  1. O Mundo: Se somos amigos de Deus nos tornamos inimigos do mundo. O mundo e todo o seu sistema não interessa a quem é do Senhor. O nosso lugar é no céu.
  2. A carne. A velha natureza que herdamos de Adão. As coisas que não são espirituais, mas que a carne deseja. Precisamos lutar contra a carne. Apesar deste desejo não podemos ceder, mas precisamos fazer a vontade de Deus.
  3. Anjos caídos, principados e potestades malignas, o próprio diabo. Não podemos ver o terceiro inimigo, pois ele é invisível. Se é difícil lutar com algo que a gente vê, imagina com o que não se vê.
cantores-edneia-oclesio

Cantores Ednéia e Oclésio, de São Paulo-SP

Paulo nos fala de algumas armaduras que precisamos nos revestir para enfrentar a batalha.

  • Cinto da Verdade: Jesus disse “Eu Sou o caminho e a verdade”. Não dá pra contar ou adorá-lo de mentirinha. Precisamos servi-lo em espirito e em verdade. O Pai procura os verdadeiros adoradores. Geralmente valorizamos mais a espada e o escudo como utensílios de guerra – é ataque e defesa. Mas é o cinto que segura a espada. Paulo usou a espada e Ananias foi o seu cinto. Ele é importante. Não dá pra deixá-lo de lado. Seja e tenha esse apoio/suporte na batalha.
  • Couraça da Justiça. A couraça dos soldados ia do pescoço até a cintura e serve para proteger o coração. Proteja as emoções e os sentimentos do seu coração com a Couraça da Justiça. Tenha um coração reto e justo diante do Senhor, independente das setas malignas. Bem aventurado aquele que tem sede e fome de justiça. Deus é justo.
  • Sandálias do Evangelho: O soldado romano usava uma sandália com cravos por debaixo dela para que ela fosse aderente e também uma arma de guerra. Essa sandália evita a queda, o escorregão. Aquele, pois, que pensa que está de pé, ore para que não caia. Cair no meio da batalha é muito perigoso. Quedas nos deixam acamados e ainda pode trazer outros prejuízos à nossa vida. Mas há um Deus que levanta o soldado ferido e o coloca de volta, calçado e no caminho do evangelho, da palavra.
  • Escudo da Fé. Os dardos inflamados do maligno não tem vez se você está com o Escudo da Fé. Os dados e o fogo não vão te queimar ou acabar com a sua vida espiritual. A fé será o elemento para apagar o fogo do inimigo que vem para consumir sua chamada ministerial, a estrutura familiar, a vida profissional. O escudo tem um encaixe lateral para que os soldados aumentem a parede de proteção. A unidade cristã é uma arma contra os dardos inflamados.
  • O Capacete da Salvação: Numa guerra a cabeça não pode ser atingida. A mente, hoje, anda muito desprotegida, com dúvidas e pensamentos maus lançados pelo inimigo. Para isso, precisamos ter a mente de Cristo. Quem tem a mente de Cristo está protegido.
  • A Espada do Espírito: A espada de metal fere, corta, machuca, mata. Mas a Espada do Espirito dá vida e cura qualquer tipo de enfermidade. Ela pode ser dura, mas ela nos vivifica, pois penetra na divisão da alma e das juntas.

Quando o apóstolo Paulo encerra a carta ele fala sobre a Oração, que em todo o tempo devemos orar e suplicar. A oração tem relação com a guerra. Sem oração não existe vitória. Mas quando a igreja ora nós somos mais que vencedores.

*Resenha é um resumo do que foi dito e entendido de um discurso ou texto por quem o escreveu, sem que o contexto se perca.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- 0 Flares ×