0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- 0 Flares ×

No domingo (14/12) o presbítero Robinson Medeiros fez uso da palavra de Deus em Eclesiastes 3:1 e João 5:5, que diz: “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. E estava ali um homem que, havia trinta e oito anos, se achava enfermo”.

Leia uma resenha* da mensagem ministrada

Quando falamos sobre o tempo e pensamos no final do ano, lembramo-nos das promessas que fizemos – muitas não cumpridas – e também falamos sobre a velocidade das horas. A sensação é que a nossa vida está passando rápido demais.

Quando Salomão escreveu provérbios estava no auge da sua mocidade. Mas quando ele chega ao final de sua vida ele escreve o livro do pregador (Eclesiastes) e o capítulo que fala sobre o tempo das coisas e que há um tempo para todas elas. Tempo de estar triste, de sorrir, de chorar, de abraçar.

É duro esperar o tempo de Deus, que não é o nosso. Não sabemos o que vai ocorrer nos próximos segundos, porque tudo está nas mãos de Deus. Os gregos diziam que havia o tempo dos deuses (Cromos) e o tempo dos homens (kairos). Para Deus mil anos é como um dia e um dia como mil anos.

João nos conta uma história de um homem paralítico há mais de 38 anos. Ele estava próximo do tanque de Betesda (que é conhecido como Casa de Misericórdia) aguardando receber a sua cura. Como é difícil esperar por uma cura para uma enfermidade/deficiência que o aflige há tanto tempo.

Havia uma festa em Jerusalém e Jesus entrou pela porta das Ovelhas, onde havia um tanque muito grande de Betesda. Muitos doentes se juntavam no tanque para esperar o agitar das águas – momento em que a cura ocorria (ninguém ajudava o paralítico a descer as águas). Mas o Mestre foi até o paralítico, pois, muitas vezes, o Senhor nos trata no “particular”.

Jesus chega até ele e pergunta se ele queria ser curado. Parecia ser irônico. Sabedor de todas as coisas, dos pormenores do homem, por que Jesus fez essa pergunta? Jesus nos dá a oportunidade para escolher a benção que queremos receber.

O tempo da oportunidade para aquele paralítico havia chegado. O Mestre o viu no meio da multidão de doentes e tinha uma benção para ele. Jesus então dá uma ordem de cura: Levanta, pega a sua cama e anda. Um ato de Fé. E o homem levantou e saiu comentando com as pessoas o que lhe havia sido feito.

Além da cura, Jesus tinha outra preocupação com aquele homem. Era sobre o futuro da alma dele. Jesus disse pra que ele não pecasse mais.

*Resenha é um texto a partir do que foi dito e entendido de um discurso sem que o contexto se perca.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- 0 Flares ×