0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- 0 Flares ×

A presidente Dilma Rousseff apresentou, ontem (28), nas Nações Unidas, a meta de redução de emissões de gases de efeito estufa nos próximos anos. Além de zerar o desmatamento ilegal, as metas até 2030 são: reduzir em 43% as emissões dos gases que agravam o efeito estufa, tendo como base o ano de 2005; 23% da geração de energia elétrica serão renováveis, sem contar a energia hidrelétrica. Tudo isso tem a ver com o esforço da ONU para desacelerar o avanço do aquecimento global. Mas o que é aquecimento global?

João Martinez, de A Rocha Internacional, nos ajuda a entender este fenômeno que atinge o mundo, em especial, os mais pobres.

O que é aquecimento global?

Seja pelos efeitos de processos naturais ou decorrente da ação humana, acredita-se que a elevação da temperatura da Terra traz mudanças climáticas significativas capazes de causar a extinção de plantas e animais, problemas sérios de abastecimento alimentar e acesso à água, aumento no número e na intensidade de desastres naturais e até mesmo o derretimento das calotas polares e a consequente elevação do nível do mar.

Existe uma grande pressão política e econômica para se negar ou minimizar as mudanças climáticas, apesar de todas as evidências já apresentadas pela comunidade científica que reforçam a necessidade de tomarmos medidas urgentes e eficazes de prevenção, contenção e gestão do problema.

Os países mais prejudicados pelo aquecimento global e as consequentes mudanças climáticas costumam ser os que não têm muitas condições de combater o problema devido à falta de recursos científicos, tecnológicos e financeiros.

O que causa o aquecimento global?

De acordo com os especialistas, o aquecimento global e as mudanças climáticas são causadas principalmente pela:

– remoção da vegetação e desmatamento das florestas, responsáveis por equilibrar os fatores naturais que regulam a temperatura da Terra, a umidade do ar e a precipitação de chuvas

– liberação de gases de efeito estufa principalmente por parte dos países mais industrializados (o Brasil ocupa o quarto ou quinto lugar no ranking, principalmente em função do desmatamento e dos incêndios florestais)1

– queima de combustíveis fósseis (gasolina, óleo diesel, gás natural, carvão mineral e outros) para gerar energia

– falta de conhecimento ou desrespeito à legislação correspondente

Os gases de efeito estufa (Dióxido de Carbono, Metano, Óxido Nitroso e outros) causam um aumento significativo na temperatura da Terra, criando ou intensificando uma barreira na atmosfera que dificulta ou impede a propagação do calor, assim como acontece em uma estufa.

Percebe-se que estes fatores causadores estão frequentemente relacionados com as práticas humanas não sustentáveis, ou seja, que não garantem a existência dos recursos naturais e do meio ambiente para as gerações futuras.

Efeitos do aquecimento global no Brasil

As previsões relacionadas aos possíveis efeitos do aquecimento global no Brasil não são animadoras e incluem:

– a diminuição da Floresta Amazônica em até 50% no século atual, causando uma perda substancial não apenas de plantas e espécies animais, mas também de ecossistemas inteiros2

– a inundação de grandes zonas litorâneas devido à elevação do nível do mar, incluindo o litoral carioca, até o ano 21003

– o ocorrência mais frequente de desastres naturais, tais como os furacões, especialmente nas regiões Sul e Sudeste do país4

– elevação da temperatura média das Regiões Norte e Nordeste em até 4°C, piorando as condições de seca e desertificação5

Na verdade, já podemos observar a manifestação e intensificação de alguns dos efeitos acima. Milhões de brasileiros já enfrentam o comprometimento dos seus meios de sobrevivência, sofrem com a crise energética e hídrica, e lutam para ter acesso a alimentos suficientes e de boa qualidade para si e para as suas famílias.

A Bíblia diz algo sobre o aquecimento global?

À primeira vista, não, mas lembre-se que a Bíblia foi escrita há muitos séculos atrás e estes problemas são relativamente novos. No entanto, há um crescente reconhecimento de que vários fatores causadores do aquecimento global e das mudanças climáticas têm suas raízes em questões morais e éticas amplamente abordadas na Bíblia: ganância, egoísmo, roubo, corrupção, falta de amor, mentira, infidelidade a Deus e desrespeito aos seus preceitos.

Ao refletirmos sobre tudo isso, vale muito a pena tentarmos responder as seguintes perguntas: Por qual motivo Deus criou o mundo? Qual é o lugar da humanidade no mundo? Como as nossas atitudes em relação a toda a Criação de Deus podem ser mudadas?

A Bíblia nos dá subsídios que nos ajudam a responder as perguntas acima, individualmente ou em grupos:

Jó 38:22-30 Nessa passagem, somos lembrados de que Deus criou, sustenta e controla o mundo, a natureza e o clima, não somente para o benefício dos seres humanos.

Jó 40:4-5 Essa passagem nos ajuda a ver que somos muito pequenos diante dos mistérios da Criação e do Deus Criador.

Oséias 4 Aqui vemos que as nossas falhas e pecados afetam o clima e que o comportamento dos seres humanos causa sofrimento a toda a Criação.

Apesar de tudo isto, em Gênesis 1:26-28 e Gênesis 2:15, nos deparamos com uma chamada surpreendente: Deus confiou aos seres humanos a importante tarefa de cuidar da sua preciosa Criação.

Ao invés de apenas nos entristecermos por termos falhado tanto na importante tarefa de cuidar da Criação, inclusive sendo um dos maiores contribuintes para a sua destruição, precisamos nos arrepender e pedir perdão a Deus – o conceito bíblico conhecido como metanoia é bem oportuno aqui, significando uma mudança completa de atitudes, crenças e estilos de vida.

Não vale a pena entrarmos em pânico ou permitirmos que fiquemos paralisados pela culpa ou constrangimento. Ao contrário, devemos ser motivados a responder aos problemas ambientais, ao aquecimento global e às mudanças climáticas a partir do amor de Deus pela humanidade e a sua Criação.

Podemos começar de novo no nosso relacionamento com Deus, com o nosso próximo e com o Planeta em que vivemos. Quando as nossas atitudes e os nossos relacionamentos são transformados, somos naturalmente levados a responder de forma prática como indivíduos, em nossas comunidades locais, e como cidadãos desse Planeta incrível em que vivemos.

Como posso responder?

Felizmente, muitas igrejas e comunidades de fé estão começando a refletir sobre os desafios apresentados pelo aquecimento global e pelas mudanças climáticas como um todo, procurando compreender como podem cumprir a tarefa dada por Deus de cuidar da Criação.

Há muitas medidas práticas que podemos tomar:

Individualmente

– Adote um estilo de vida simples e favorável ao meio ambiente que inclua a reciclagem, menos consumo e a escolha cuidadosa do que consumimos

– Compense a emissão dos gases poluentes emitidos pelos meios de transporte rodoviários e aéreos que utilizamos, através do plantio de árvores ou de doações a um fundo de compensação de gás carbônico, tal como o oferecido pela Climate Stewards (Mordomos do Clima)

– Apoie, divulgue e envolva-se com o trabalho da organização cristã ambiental A Rocha Brasil

Em comunidade

– Incentive a sua igreja a tornar-se uma igreja ecocidadã

– Desenvolva ou apoie uma iniciativa ou projeto ambiental em sua região

– Faça estudos bíblicos sobre o que significa ser mordomo da Criação de Deus, informe a sua igreja sobre os desafios do aquecimento global e pregue sobre estilos de vida

– Informe-se sobre como a Política Nacional sobre Mudança do Clima (Lei Federal Brasileira 12.167/2009)6 está sendo implementada na sua região e procure oportunidades de cooperação, defesa e promoção de direitos (advocacy)

Texto publicado originalmente no site www.utlimato.com.br

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- 0 Flares ×